27 de fev de 2011

26 de fev de 2011

O Professor

Quem é?
Quem é esse estranho personagem?

Homem ou mulher, velho ou moço, que em sua ação é ao mesmo tempo músico e regente?

Quem é essa estranha figura que em seu trabalho chora e ri, fala e escuta, conta e encanta?

Quem é esse ator que precisa entusiasmar o grupo e ao mesmo tempo atender o apelo individual?

Precisa manter a ordem sem perder a serenidade; falar a todos, ouvindo a cada um?

Quem é esse estranho personagem?

Quem possui a indômita magia para ajudar que todos desabrochem e se expressem, aprendam e se transformem, construam e sonhem?

Quem é esse estranho malabarista que necessita se equilibrar entre conteúdos e competências, limitando excessos, favorecendo autonomia, acordando inteligências, provocando pensamentos?

Quem é esse anjo que empresta a filho dos outros, o tempo que para os seus não tem e que cobrado pelos desafios da vida sempre dura, não consegue apagar a emoção que a rotina propicia?

Quem é esse estranho personagem?

Que necessita sempre resolver, saber, decidir, propor, desafiar sem oportunidade de perder o instante, sem o recurso de deixar para depois?

Quem possui essa aura para esgotado, renovar esforços; combalido encontrar energia? Quem pode, ao entrar em cada classe, refazer-se novo como se aquela fosse a única?

Quem é esse estranho personagem?

Que aprende a empatia que ensina, pratica a solidariedade que prega, administra a progressão do currículo que deseja, avalia com olhar abrangente, vibra com sucessos que não são seus.
Quem é esse distribuidor de sementes que não colhe para uso próprio os frutos que plantou?

Quem é esse estranho personagem?

Quem é esse teimoso otimista que confia no aluno, que acredita no amanhã, que espera sempre pelo sonho?

Quem é esse estranho personagem?

Se ignorar a resposta, busque no espelho prezado professor...
(Celso Antunes)

Desafio da Adição


Desafio extraído do blog Sala de Aula.  Profª 

Palavrinhas Mágicas


PALAVRINHAS MÁGICAS

POR FAVOR, OBRIGADO, COM LICENÇA E DESCULPE-ME.

ESSAS PALAVRINHAS MORAM NA BOCA DE TODO MUNDO.

NÓS,ÀS VEZES, ESQUECEMOS DELAS. MAS ELAS PRECISAM SER USADAS E É SEMPRE BOM TÊ-LAS NA PONTA DA LÍNGUA.

AS COISAS PODEM SER MAIS AGRADÁVEIS QUANDO ELAS PARTICIPAM DO NOSSO DIA. POR ISSO, VOCÊ PODE E DEVE USÁ-LAS SEMPRE. 

POR EXEMPLO, QUANDO ESTIVER TOMANDO CAFÉ E QUISER UM POUCO DE MANTEIGA, EXPERIMENTE DIZER:

- ALGUÉM PODE ME PASSAR A MANTEIGA, POR FAVOR?

QUANDO ABORDAR ALGUÉM NA RUA PARA SABER AS HORAS OU PEDIR UMA INFORMAÇÃO, NÃO SE  ESQUEÇA  DE DIZER “OBRIGADA” OU  “ OBRIGADO”.

SE ESTIVER ANDANDO POR UMA CALÇADA  E ESBARRAR EM ALGUÉM , NÃO SE ESQUEÇA DE DIZER “DESCULPE-ME”

SE FOR ENTRAR EM ALGUM LUGAR, QUE TAL DIZER, COM LICENÇA.

DEU PARA PERCEBER A DIFERENÇA?  A DIFERENÇA ESTÁ EM SABERMOS USAR AS BOAS MANEIRAS.


Texto Extraído do blog Sala de Aula . Minha nova amiga Profª 

20 de fev de 2011

19 de fev de 2011

16 de fev de 2011

Carro Elétrico de Carnaval - História do Carnaval

Máscara de Carnaval






Carnaval







Projeto Carnaval


PROJETO: CARNAVAL
INTRODUÇÃO

  Quando pensamos em Brasil ou no povo brasileiro, quase sempre nos vem a imagem de um povo alegre e dançante. O carnaval é um grande exemplo disso. É uma manifestação popular que ocorre de diferentes formas em várias regiões do Brasil, dependendo do contexto histórico e sociocultural de cada lugar.
Entrelaçando as influências dos negros africanos, indígenas, nativos e europeus colonizadores, a cultura brasileira resultou em uma grande diversidade e riqueza de manifestações.

JUSTIFICATIVA

 O Brasil é um país rico culturalmente, porém, o que sabemos dessa cultura limita-se ao que vivemos no dia-a-dia e ao que a TV nos mostra, muitas vezes, informações soltas, imagens que ficam muito distantes de nossa realidade ou de cunho comercial.
         Pensando nisso, pretendemos, neste trabalho, propiciar atividades que ampliem o conhecimento das crianças sobre o carnaval no Brasil, levando em consideração suas influências e fazendo um paralelo temporal desde os antigos carnavais até hoje.

OBJETIVOS GERAIS

Ø  Conhecer os aspectos culturais do carnaval que influenciaram na etnia brasileira.
Ø  Reconhecer as manifestações carnavalescas dentro do contexto social.
Ø  Conhecer as marchinhas carnavalescas.
Ø  Conhecer, observar e acompanhar a evolução de gêneros carnavalescos como: música, blocos, fantasias e histórias.
Ø  Estabelecer relação entre passado e moderno.

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

 *  Fazer um baile de carnaval para que as crianças conheçam um pouco sobre essa manifestação popular.
Levar para a sala de aula os elementos do carnaval através de imagens ou objetos.
*  Executar músicas pertinentes ao universo carnavalesco.
*  Fazer pinturas faciais nas crianças e disponibilizar diferentes roupas e adereços para que possam usar como fantasias.

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

   Confecção de painel com recortes e fotos carnavalescas.
>  Trabalhar músicas carnavalescas
> Confeccionar máscaras carnavalescas com material de sucata.
>  Listar as fantasias que as pessoas costumam usar em carnaval.
> Pular carnaval usando roupas e acessórios diversos como fantasia.

CULMINÂNCIA

  • Desfile de fantasias.  
  • Exposição de painéis.  
  • Baile carnavalesco.
Autora do projeto: SONIA REGINA UBEDA 
Projeto prático e simples.


Marcha de Carnaval


Vamos conhecer algumas marchas de Carnavais e seus compositores.


  * A jardineira                           *Aurora 
  * Abre alas                               Saca-rolha
  * Allah-la-ó                             * Cabeleira do Zezé    
  * Cidade Maravilhosa         * Mamãe eu quero    
  * Me dá um dinheiro aí      * Ta-hí
  
A JARDINEIRA
(Benedito Lacerda-Humberto Porto, 1938)

Ó jardineira porque estás tão triste
Mas o que foi que te aconteceu
Foi a camélia que caiu do galho
Deu dois suspiros e depois morreu
Vem jardineira vem meu amor
Não fiques triste que este mundo é todo seu
Tu és muito mais bonita
Que a camélia que morreu




AURORA
Mário Lago-Roberto Roberti, 1940

Se você fosse sincera
Ô ô ô ô Aurora
Veja só que bom que era
Ô ô ô ô Aurora

Um lindo apartamento
Com porteiro e elevador
E ar refrigerado
Para os dias de calor
Madame antes do nome
Você teria agora
Ô ô ô ô Aurora
.

ABRE ALAS
(Chiquinha Gonzaga, 1899)

Ó abre alas que eu quero passar
Ó abre alas que eu quero passar
Eu sou da lira não posso negar
Eu sou da lira não posso negar
Ó abre alas que eu quero passar
Ó abre alas que eu quero passar
Rosa de ouro é que vai ganhar
Rosa de ouro é que vai ganhar

ALLAH – LA -Ô
(Haroldo Lobo-Nássara, 1940)

Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô
Mas que calor, ô ô ô ô ô ô
Atravessamos o deserto do Saara
O sol estava quente
Queimou a nossa cara

Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô
Viemos do Egito
E muitas vezes
Nós tivemos que rezar
Allah! allah! allah, meu bom allah!
Mande água pra ioiô
Mande água pra iaiá
Allah! meu bom allah

SACA-ROLHA
Zé da Zilda-Zilda do Zé-Waldir Machado, 1953)

As águas vão rolar
Garrafa cheia eu não quero ver sobrar
Eu passo mão na saca, saca, saca rolha
E bebo até me afogar
Deixa as águas rolar

Se a polícia por isso me prender
Mas na última hora me soltar
Eu pego o saca, saca, saca rolha
Ninguém me agarra ninguém me agarra


CABELEIRA DO ZEZÉ
(João Roberto Kelly-Roberto Faissal, 1963)

Olha a cabeleira do Zezé
Será que ele é
Será que ele é
Será que ele é bossa nova
Será que ele é Maomé
Parece que é transviado
Mas isso eu não sei se ele é
Corta o cabelo dele!
Corta o cabelo dele!

CIDADE MARAVILHOSA
(André Filho, 1934)

Cidade maravilhosa
Cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa
Coração do meu Brasil
Cidade maravilhosa
Cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa
Coração do meu Brasil
Berço do samba e das lindas canções
Que vivem n'alma da gente
És o altar dos nossos corações
Que cantam alegremente
Jardim florido de amor e saudade
Terra que a todos seduz
Que Deus te cubra de felicidade
Ninho de sonho e de luz.

MAMÃE EU QUERO
(Jararaca-Vicente Paiva, 1936)

Mamãe eu quero, mamãe eu quero
Mamãe eu quero mamar
Dá a chupeta, dá a chupeta
Dá a chupeta pro bebe não chorar
Dorme filhinho do meu coração
Pega a mamadeira e vem entrá pro meu cordão
Eu tenho uma irmã que se chama Ana
De piscar o olho já ficou sem a pestana
Olho as pequenas mas daquele jeito
Tenho muita pena não ser criança de peito
Eu tenho uma irmã que é fenomenal
Ela é da bossa e o marido é um boçal

ME DÁ UM DINHEIRO AÍ
(Ivan Ferreira-Homero Ferreira-Glauco Ferreira, 1959)

Ei, você aí!
Me dá um dinheiro aí!
Me dá um dinheiro aí!
Não vai dar?
Não vai dar não?
Você vai ver a grande confusão
Que eu vou fazer bebendo até cair
Me dá me dá me dá, ô!
Me dá um dinheiro aí!

TA-HÍ
(Joubert de Carvalho, 1930)

Taí eu fiz tudo pra você gostar de mim
Ai meu bem não faz assim comigo não
Você tem você tem que me dar seu coração
Meu amor não posso esquecer
Se dá alegria faz também sofrer
A minha vida foi sempre assim
Só chorando as mágoas que não têm fim
Essa história de gostar de alguém
Já é mania que as pessoas têm
Se me ajudasse Nosso Senhor
Eu não pensaria mais no amor


13 de fev de 2011

Sistema Monetário Brasileiro


Problema Matemática

Ordinais - Pares - Adição


LIXO NO LIXO!




                    QUADRILHA DE SUJEIRA

João joga um palitinho na rua da Teresa
Que joga uma latinha de refrigerante na rua de Raimundo
Que joga um saquinho plástico na rua de Joaquim
Que joga uma garrafinha velha na rua de LIli.

Lili joga um pedacinho de isopor na rua do João
Que joga uma embalagenzinha de não sei o que na rua de Teresa
Que joga um lencinho de papel na rua de Raimundo
Que joga uma tampinha de refrigerante na rua de Joaquim


Que joga um papelzinho de bala na rua de J.Pinto Fernandes
Que ainda nem tinha entrado na história.

Fonte
Revista  Nova Escola

Retirei do site Educar para Transformar.
Que tal amigas levar para seu blog!

SE VOCÊ QUER UMA SOCIEDADE EDUCADA,  
SEJA EDUCADO,
SE VOCÊ QUER UMA SOCIEDADE CONSCIENTE,
  SEJA CONSCIENTE...
E NÃO SE ESQUEÇA JAMAIS:  
CRIANÇA VÊ, CRIANÇA FAZ 
  
Frase tirado do blog Educação em Foco

12 de fev de 2011

9 de fev de 2011

Artes - Mosaico - Amizade

História Infantil - João e o Pé de Feijão











Esse trabalho eu não poderia deixar de publicar do
Todos devem dar uma "espiada" para conhecer o Varal de Histórias  
da nossa amiga IVANA KAIPER.
Tem outras histórias como A Pastorinha e Chapeuzinho Vermelho.
Parabéns amiga eu não só amei como achei de uma 
qualidade, criatividade  e praticidade sem tamanho.

4 de fev de 2011

Projeto: Amizade Com Amor se faz na Escola


Mês de Fevereiro

Projeto: Amizade Com Amor se faz na Escola

Objetivos :

  • Demonstrar a importância de se cultivar amigos dentro e fora da escola;
  • Cultivar os bons hábitos de convivência e amor dentro da família;
  • Incentivar o respeito mútuo a partir de atividades compartilhadas em grupo;
  • Diminuir o grau de agressividade no relacionamento entre os alunos;
  • Trabalhar em equipe com alunos, professores funcionários e toda gestão escolar.
  • Aprender e saber respeitar as diferenças físicas e psicológicas que existem entre as pessoas;
  • Apropriar os conceitos matemáticos de adição e multiplicação das virtudes e das amizades;
  • Apropriar os conceitos matemáticos de subtração, utilizando os sentimentos negativos como inveja, egoísmo, desrespeito, etc.
  • Conhecer as variadas maneiras amizades que podem estabelecer com animais, plantas, etc. Introduzir o estudo sobre os animais, ressaltando a amizade que podemos ter pelos mesmos.
Formulação dos Problemas:

Colocar em discussão os valores e sentimentos que temos com os outros em sala de aula. Não escrevo para heróis, mas para pessoas que sabem que educar é realizar a mais bela e complexa arte da inteligência. Educar é acreditar na vida e ter esperança no futuro, mesmo que os jovens nos decepcionem no presente.
Educar é semear com sabedoria e colher com paciência

Material:
  • Livro Ninguém é igual a Ninguém . ( Regina Otero e Regina Rennó)
  • Textos diversificados sobre o tema da Amizade e Fraternidade; interpretação e redação pessoal.
  • Filme sobre o tema de amizade e fraternidade.
  • Texto extraídos site: História para criança ler, ouvir e sonhar

Planejamento :

1º Sensibilização   2º Concretização     3 º Integração     4º Exposição

Temas Transversais

ÉTICA: diálogo, respeito mútuo, solidariedade. Sensibilização e valorização do colega, do professor e funcionários da própria escola como instrumento para esclarecer os conteúdos.

SAÚDE: participação do aluno em casa, na escola e nos lugares públicos. O desenvolvimento de hábitos saudáveis.

PLURALIDADE CULTURAL: diferentes formas de transmissão de conhecimento: práticas educativas e educadores nas diferentes culturas. Relações de amizade, valorizando a liberdade de escolha de vínculos sócio afetivos como elemento de liberdade de consciência e de associação.

CIDADANIA: Direitos e deveres individuais e coletivos.

Execução

Sensibilização: Este é um projeto interdisciplinar que aborda todas os alunos, professores e funcionários  da escola.
Este trabalho procura desenvolver a aprendizagem dos valores humanos de união, fraternidade, amizade, companheirismo, respeito e amor ao próximo através de situações compartilhadas em grupo.
 

Concretização:
  • Para estimular a criatividade dos alunos foram criadas Monitores da paz  para que todos participasse e sejam responsável pela escola  e o bem estar de todos.
  •  Incentivar a leitura compartilhada por meio do livro Ninguém é igual a ninguém. Estrutura textual de um livro; Estrutura da frase; Coletivo, encontro consonantal, separação de sílabas;
  • Desenvolver a oralidade e a escrita através do reconto oral e da composição escrita do bilhete para o colega. Estrutura funcional do BILHETE.
  • Valores Humanos no dia-a-dia; Pintura de faixas gigantes sobre o tema.
  • Serão sorteados  aleatoriamente livros paradidáticos ou revista de atividades durante todo o mês de fevereiro na sala de aula que mas se destacar.
 
Integração

  • Ao iniciar a aula, fazer uma oração agradecendo a Deus pelos nossos colegas de classe, pelos nossos amigos que não estudam na escola e pela nossa família. Ressaltar o amor ao próximo. Realizar um círculo na sala de aula (mudar a disposição das carteiras, se for possível).Contar a estória do livro Ninguém é igual a ninguém de Regina Otero e Regina Rennó. Perguntar aos alunos o que entenderam sobre a história e como podemos fazer para respeitar as diferenças entre os nossos colegas.Os alunos realizarão leitura silenciosa e oral do texto (verificar as dificuldades na leitura, realizando a mediação na transcrição da linguagem e na compreensão da palavra escrita). Realizar atividades referentes ao texto: I n t e r p r e t a ç ã o.
  •  Introduzir o estudo dos animais, conversando com os alunos sobre a importância de cuidarmos deles com carinho. Falar sobre a amizade que alguns animais têm com as pessoas (o pássaro e o cão, por exemplo).
  • Realização da leitura silenciosa e oral do texto Como viver em fraternidade. Fazer uma interpretação do texto com o grupo .Na celebração da amizade, viver em fraternidade é melhor que brigar. Uma das maneiras de viver bem é ser honesto e falar a verdade. Desenvolver problemas matemáticos para os alunos resolverem com situações sobre amizade

  • Iniciar a aula conversando com os alunos sobre a importância de sempre observarmos o nosso jeito de ser. Devemos nos livrar de sentimentos ruins e pedir sempre à Deus que nos ilumine e nos capacite para o perdão. Ressaltar a necessidade de ajudarmos uns aos outros e vivermos sempre em união. Em seguida, realizar a leitura de um texto sobre a reavaliação de nossas vidas
  • É bom saber trabalhar com o colega. Explicar aos alunos que nesse momento, nós iremos realizar a leitura do livro Ninguém é igual a Ninguém, em duplas. Explicar que cada um possui características próprias e como é importante a gente saber respeitá-las. Os alunos reunirão em duplas. Cada dupla irá receber um livro Ninguém é igual a ninguém. Eles realizarão a leitura e cada integrante da dupla escreverá um bilhetinho para o outro. Em seguida, cada aluno lerá o bilhetinho que recebeu em voz alta e o colocará no PAINEL DOS AMIGOS (um cartaz em papel sulfite com os envelopes pequenos colados). Colar bilhete e envelope.Conversar com os alunos e explicar que nós também podemos ter amizade com as árvores. Explicar que elas retribuem os bons cuidados com refrescantes sombras e, algumas delas, com deliciosos frutos.

Exposição

  • Expor todos os trabalhos na parede da escola.
  • Apresentação dos trabalhos na acolhida.
  • Exposição de um pomar da amizade do projeto Mais educação.

Conclusões e Aplicações:

           Cultivar os bons hábitos de convivência e amor dentro da família e da Escola, incentivando o respeito mútuo a partir de atividades compartilhadas em grupo, diminui o grau de agressividade no relacionamento entre os alunos. Eles devem aprender e saber respeitar as diferenças físicas e psicológicas que existem entre cada um.
         Acredito que o "jeitinho” de ensinar de cada professor é o verdadeiro método, mas como todo método exige uma base na qual nos apoiamos, chegamos a conclusão que os projetos são necessários e acredito que estamos  lançando sementes, que germinarão, e convidamos a todos que tragam novas sementes para compor um verdadeiro pomar que é a escola.


Esse projeto esta adaptada para a minha escola mas originalmente esta no site Diálogo e Educação

2 de fev de 2011

Cartaz Chamada

Esse calendário encontrei no blog 
Lindo, maravilhoso e criativo.
Parabéns Profª Graziella Daros