5 de jul de 2011

História de Escravidão

  História de Escravidão

Eu tenho uma história, ó seu moço!
Que eu quero lhe contar
Pois o professor no Brasil
Após muito estudar
Só falta morre de fome e de frio
Pois o que ganha não dá
Para pagar as suas contas
E sua família sustentar

E essa história, ó seu moço!
Parece até de escravidão
Pois o professor que forma o menino, o homem, o cidadão
Tá sendo obrigado a trabalhar três sábados
E até o décimo terceiro salário
Teve a sua suspensão

A prefeitura é dura em suas opiniões
Tenta enfraquecer a luta
Autorizando agressões
E manda Projeto de Lei
Para a Câmara votar
Tudo isso, ó seu moço
Para o Piso não pagar

E o professor, ó seu moço!
Para o seu direito conquistar
Tem que entrar em greve
E ser capaz de suportar
O terrorismo vil, a fome, o sol e o frio
E spray de pimenta levar

E crer na justiça, ó seu moço!
Não passa de uma ilusão
Pois quem deveria ser cega
Às vezes por trás estende a mão
E em troca de favores políticos
Às vezes vende veredictos
Triste é a corrupção

Mas eu tenho muito orgulho, ó seu moço!
Do querido professor
Pois é ele que forma o arquiteto, o advogado e o doutor
Mas que pena não é reconhecido
Pelo seu importante serviço
Mas pra mim ele tem grande valor
 
E vendo essa greve, ó seu moço!
Eu aprendi uma grande lição
Entendi que se tenho direitos
Deles não devo abrir mão
E se tiver que ir a luta
Devo manter a conduta
Para melhorar a educação


Autor desconhecido

Um comentário:

  1. Aninha querida...que lindoooo!!!
    Onde conseguiu esse texto maravilhoso?
    Tudo bem, não precisa revelar o segredo, mas permita-me copiar e assim que der reproduzir lá no mundinho com referência ao teu blog é claro.
    Adorei!

    Beijos querida amiga e fique com Deus!

    Rosa

    ResponderExcluir